MORTOS COMIDOS POR URUBUS, ISSO É GARANTIA DE SEGURANÇA PARA UM ESTADO PROGRESSISTA? - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

Publicidade

test banner

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

MORTOS COMIDOS POR URUBUS, ISSO É GARANTIA DE SEGURANÇA PARA UM ESTADO PROGRESSISTA?

A Moldura da Morte em Alagoas
Através de uma visita que o promotor de justiça, Flávio Gomes, fez ao cemitério Divina Pastora em Maceió, capital do estado de Alagoas, foi constatado que urubus estavam devorando restos de corpos humanos

Isso nos faz refletir e mostrar como o Estado transporta tanta violência e desprezo pela vida humana, especialmente dos mais necessitados. Esse cemitério é o lugar onde enterra-se cadáveres que não são identificados no Instituto de Medicina Legal da capital.

Se as imagens são fortes, inadmissíveis, o que falarmos das pessoas vivas  entulhadas nos postos de saúde e nos corredores dos hospitais públicos do estado, enquanto o governo está preocupado com estatísticas ou com números apenas?!

É bom analisarmos que estamos caminhando para mais um pleito eleitoral e essas pessoas são eleitores, que permanecem sendo massacrados, usados como produto eleitoral.

O que nos chama atenção é que existem políticos achando que os eleitores devem ser submetidos a uma condição que retire a liberdade de emancipar-se e ter seus direitos garantidos.

Afinal, que sociedade é essa? 

Tanto na capital como no interior, são atendidos rapidamente aqueles que apresentam um bilhetinho assinado por um vereador, deputado ou um assessor que detém o poder de mandar num certo e determinado curral eleitoral.

Por que o povo não denuncia ou não reclama? Prefere continuar numa escravidão moderna, onde o chicote foi substituído pela lavagem cerebral ou pela violência psicológica, aquela de ameaças indiretas.

Com esse tipo de comportamento as pessoas menos esclarecidas vivem um mundo do imaginário, aquele onde os falsos profetas fazem a festa com a desgraça dos outros.

O que o promotor de justiça viu in loco, não é nenhuma novidade para os esclarecidos. Se em Pernambuco tinha o Pacto Pela Vida, que serviu de discurso de palanque e faliu, em Alagoas, é exercida a “política do olho por olho, dente por dente”, enquanto investir no social e na educação não serve por que não da votos.

É bem verdade que os mortos não votam mais, e seus familiares não merecem um mínimo de respeito? Cadê a cidadania garantida na Constituição Federal?

Eita, lembrei, estou no Brasil!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE