TEM DINHEIRO PARA CARNAVAL, MAS, NÃO TEM PARA SAÚDE E EDUCAÇÃO. QUE PAÍS É ESSE? - CLÁUDIO ANDRÉ O POETA

Publicidade

test banner

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

sábado, 16 de janeiro de 2016

TEM DINHEIRO PARA CARNAVAL, MAS, NÃO TEM PARA SAÚDE E EDUCAÇÃO. QUE PAÍS É ESSE?

"Com esse dinheiro poderíamos colocar o aparelho de Ecocardiograma para funcionar TODOS OS DIAS, durante 34 meses, isso mesmo, dois anos e dez meses. Mas eles vão dar R$ 840.000,00 para uma comemoração de cerca de 6 horas para cada cantor.
Um médico do Hospital Geral do Estado, de Salvador, comparou os cachês no Carnaval de 2016 para acusar o governo da Bahia de descaso com a saúde pública estadual.

Após a divulgação dos valores que serão pagos aos cantores Ivete Sangalo e Bell Marques para desfilarem no primeiro dia de Carnaval, no circuito Campo Grande, o médico Djalma Duarte fez uma declaração revoltada em seu perfil no Facebook.

Ele, que havia acabado de sair de um plantão em que faltavam médicos para atender a todos os pacientes, utilizou a rede social para escrever um texto direcionado ao governador da Bahia, Ruy Costa.

"Pois é gente... DINHEIRO, porque médico não falta, se o Governador ou o Secretário de Sáude tiver alguma dificuldade de encontrar plantonistas, peço que me liguem que eu gastarei uns 15 minutos para encontrar uns 10 colegas dispostos a trabalhar. Mas para pagar a Ivete e Bell o governador tem dinheiro", afirmou ele no seu texto.

Apesar da informação ainda não ser confirmada pelo governo do Estado, fontes garantem que Ivete Sangalo e Bell Marques devem receber juntos a quantia de R$ 840 mil. Ivete ganharia R$ 500 mil e Bell ganharia R$ 340 mil.

“Essa quantia relatada aí na reportagem daria para pagar um plantonista por cerca de DUZENTOS E QUARENTA MESES, isso mesmo, 20 anos”, comparou Djalma.

Na publicação, o médico alega que faltam servidores, computadores para permitir a impressão dos prontuários e um especialista que possa realizar os exames de Ecocardiograma.
MAIS INFORMAÇÕES NO LINK ABAIXO

MEU PONTO DE VISTA
Diante do que se leu no texto acima, perguntamos:
O que esperar de um País que em vez da prioridade ao que é prioridade, simplesmente, é ignorado pelas autoridades?
Por que acreditar num País justo, quando os direitos dos cidadãos são violados descaradamente?
Se saúde, educação, infraestrutura, geração de emprego e renda, não são prioridades para o bem do povo, o que é bom para o País, então? Apenas carnaval? Mulheres com o "rabo de fora"? Gastança do dinheiro público com pão e circo?
Sinceramente, não da mais para acreditar num País melhor e que pelo menos atenda as necessidades do povo.
No dia que os políticos brasileiros levarem o Brasil à sério, não tenha dúvidas que poderemos viver em paz. Pense nisso!
Mas, para isso acontecer, dependerá de nossas escolhas nas urnas...

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE