EXPEDITO SAPATEIRO por Alexandre Tenório - CLÁUDIO ANDRÉ - O POETA

Publicidade

test banner

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quinta-feira, 29 de março de 2018

EXPEDITO SAPATEIRO por Alexandre Tenório


                                 
COLUNA ENSAIO GERAL

EXPEDITO SAPATEIRO

          Morreu no Recife no último dia 26 de março de 2018, Expedito Sapateiro - Expedito vinha convalescendo de um ANEURISMA CEREBRAL e pegou uma infecção hospitalar e veio a óbito.
          Expedito era sobrinho de Marreca, que tinha também o mesmo defeito físico dele, ou seja, era um pouco corcunda.
          Expedito por muitos anos armava sua tenda de sapateiro no comércio local. No governo de Dr. Daniel Brasileiro foi feito uma limpeza no nosso comércio tirando as barracas e tendas, com isto Expedito teve de ir para outro lugar, então fez uma barraca na Av. XV de novembro ao lado da COMPESA e com pouco tempo os maloqueiros incendiaram a barraca, então ele alugou na ladeira Doralice Barbosa um ponto comercial e lá colocou sua tenda que ficou até hoje.  O mais importante frequentador da tenda foi o Cap. Naduca, todo dia estava lá chovesse ou fizesse sol.
          Expedito foi de longe foi o sapateiro mais careiro que nossa cidade já teve, certa vez ele cobrou tão caro um concerto de um sapato, que o cidadão disse – pode ficar com o sapato, pois eu vou comprar na loja um sapato novinho pelo o preço que o senhor esta cobrando.
          A fama de carreiro dele se espalhou por toda cidade e isto fez com que as pessoas diminuíssem a procura pelo o seu trabalho, então Expedito resolve fazer alguma coisa para melhorar o movimento e coloca no carro de som de Neinha uma propaganda dizendo que estava com 50% de desconto em todo tipo de concerto, onde o carro de som passava com a propaganda as pessoas diziam – MESMO ASSIM FICA CARO. Uma virtude de Expedito era que o seu trabalho podia ser caro, porém ficava bem feito.
          Expedito só perdia para Cicero de Maninho no quesito comer um galeto e deixar só ossos lisinhos que nem cachorro queria comer. Expedito tinha uma técnica extraordinária, a coxa entrava por um lado da boca e o osso saia do outro lado lisinho.
          Quero aqui desejar a sua família força para suportar a dor da sua perda, e dizer que Expedito foi um grande amigo que tive e acima de tudo um homem de bem.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE