CRISE FINANCEIRA PODE CAUSAR DEMISSÕES E FECHAMENTO DA FÁBRICA DA PEDRA EM DELMIRO GOUVEIA - CLÁUDIO ANDRÉ O POETA

Publicidade

test banner

Ultimas!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

CRISE FINANCEIRA PODE CAUSAR DEMISSÕES E FECHAMENTO DA FÁBRICA DA PEDRA EM DELMIRO GOUVEIA

Depois de mais de 100 anos de muitos altos e baixos, a Fábrica da Pedra, localizada no centro da cidade de Delmiro Gouveia, pode não resistir à crise econômica que assola ao país. Talvez o pré-anúncio disso tenha ocorrido na manhã desta segunda-feira (1), quando a indústria têxtil teve a energia cortada pela Eletrobras em todo o parque industrial, por falta de pagamento.
O débito de um mês, no valor de R$ 1,1 milhão, foi o motivo da concessionária de serviço cortar o fornecimento elétrico da indústria, que por conta disso parou, mantendo apenas parte do funcionando, com a ajuda de geradores. O Museu da Pedra, pertencente à fábrica, também ficou sem energia.
Os comerciantes da região também estão preocupados com a situação, que pode agravar ainda mais a crise econômica, principalmente em Delmiro Gouveia. “Há anos a fábrica movimenta a economia do município e até da região. Se parar, será lastimável para todo o comércio”, disse o gerente de uma loja de calçados e confecções da cidade.

A fábrica
Fundada no dia 5 de junho de 1914, pelo industrial Delmiro Augusto da Cruz Gouveia, a Fábrica da Pedra S/A Fiação e Tecelagem foi adquirida pelo Grupo Carlos Lyra, em 1992. É uma indústria prestes a completar 102 anos, que tem contribuído para o desenvolvimento econômico e social do sertão de Alagoas, e o restante do país.
Por Jota Silva- Minuto Sertão

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE